10.2.08

(des)Conversas

Mushu: Olá B., por aqui?
B: Sim, vim tomar café para a esplanada, não se fuma lá dentro.
Mushu (puxa de cadeira): Posso?
B: Claro!
B: Está um dia bonito. Pena estar tanto frio.
Mushu: Pois. Estamos quase na primavera.
B: Nããã... ainda falta.
(silêncio)
B: Dizem que amanhã chove. Geralmente quando chove fica menos frio.
(silêncio)
Chega o café da Mushu
(silêncio)
Mushu: Olha, já sei! E que tal se discutíssemos a vida sexual dos duendes da floresta negra? Ou mesmo a apanha dos cogumelos e a sua contribuição para o aquecimento global?
B:??????
Mushu (pensa): Esquece

7 comentários:

Mo disse...

olha se foste capaz mereces uma medalha, pq eu n consigo mas adoraaaaaaaaaaava

e a saúde? n falaram de doenças e idas ao médico de alguém bem remoto e distante???

e de uma dor aqui que nem me deixa dormir?

possas chamem já a brigada da parvoice

Toze disse...

Só podia ser a mulher dos "comments privados", num é Mushu ?

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

Mushu disse...

Claro TóZé, quem mais Kekekeke

Mo disse...

ide-vos ó vendidos de haloscan's

vsuzano disse...

eu até ia palrar mais, mas lá no fundo está uma rata...
com uma placa meia roida...
disse, que eu tinha um IP.....
e que estava a usar o IE...

fiquei sem perceber o que queria, e assim vou-me embora de mansinho... para não acordar a ratinha...

Mo disse...

mata a rata :P

Bartolomeu disse...

A vidinha saxual dos duendes é algo que me martela no espírito ha já algum tempo. Ainda bem que mais alguem deseja debater esse assunto.
Ultimamente tenho-me confrontado com a hipotese de, por acção de um qualquer alimento genéticamente transformado, me vir... quer dizer... vir-me... aííí... VIR A (irra!) transformar-me tambem eu num duende. Depois penso, é pá, se eu não tenho no meu círculo de amizades, uma duende, nem mora nenhuma na minha rua, nem mo meu bairro... como é que eu iria resolver a questão da minha sexualidade?
É que, eu até admito que uma mulher de tamanho normal, possa ter uma fantasia sexual em que deseje realizar sexo com um duende, mas contudo´seria um risco que eu não correria. Ora, imagine-se que no auge da excitação (sim, porque tenho a certeza, que apesar de duende iria fazer excitar muitíssimo a mulher). Bom, mas que no auge da excitação ela gemia e pedia... mete mais, mete mais... o mais esperável é que fosse eu inteirinho a ser sugado GLUUUP!!!
Na... isso não me convem nada, depois não me encontravam e o meu reumático não se dá em zonas de excessiva humidade.
Posta esta hipotese de lado, restavam-me outras duas: a masturbação e o recurso a uma vagina artificial, a pilhas. Mas quando reflicto um pouco mais acerca deste assunto, concluo com relativa facilidade que, sendo duende, o tamanho da minha mão não seria suficiente para abarcar o... o... (sacana do motor está a falhar) o mastro, pronto. Relativamente às vaginas a pilhas, devo confessar que sou um visitante assíduo de sexshop's, onde tenho encontrado os mais variados artigos, destinados a um va´riadíssimo leque de clientes dos três sexos, mas a verdade é que ainda não topei em nenhuma, algo dimensionado e destinado a duendes. O mais adaptável que encontrei nesse campo, foi na farmácia, uma pinça para as senhoras arranjarem as sobrancelhas, mas... se com o latex já tenho dificuldes, então com o aço... nem pensar...
Resumindo, o melhor é ter muito cuidadinho com o que se come, porque s'uma pessoa vira duende, assim do dia prá noite... o melhor é cortar o apêndice e dar ao gato. Ao gato? à formiga! Será que as formigas apreciam apêndices humanos?
Ah devem apreciar! Lembrei-me agora que um dia, estava com uma namorada no campo e às tantas, beijinho puxa beijinho, mãozinha toca maminha, dedinhos desapertam blusinha... bom, fico por aqui, que já estou a entrar noutra dimensão que já não tem nada a ver com duendes.